terça-feira, 30 de maio de 2017

Identificando o Essencial nos Estudos

 [Tempo de leitura: 2' 45''] 
[ O artigo a seguir foi publicado originalmente na 2ª edição da Revista Master Of Simplicity- Março de 2017]
Quer saber mais? Conhecer o trabalho? www.masterofsimplicity.com


Não tenho um caminho novo.
O que tenho de novo é um jeito de caminhar.

Thiago de Melo

Minha jornada no minimalismo me faz sempre pensar sobre o processo de estudos. Estudar é uma atividade que nos encontra em diferentes momentos da vida e não precisa estar vinculada a uma matrícula na universidade. Hoje com a internet podemos estudar sobre os mais diferentes temas. É um mundo de possibilidades. Mas se não selecionarmos o que é importante para nós, podemos nos perder. Simplicidade é a chave.
Nesse caminhar tenho aprendido a simplificar na vida e também nos estudos. Identificar o essencial é importante para manter a motivação e a regularidade.
Estudar é um projeto. E para definir se um novo projeto entra na minha vida, preciso perguntar Por que e Para quê? Identificar os objetivos dá uma clareza maior sobre quais as melhores decisões a serem tomadas. Objetivos simples são mais fáceis de atingir. Caso não sejam simples, recorto-os em objetivos menores e possíveis.
Eleger prioridades segue nesse fluxo, juntamente com aprender a dizer um doce, mas firme “não”. O “não” também se estende a papelada. Sabe aqueles papéis da faculdade, do curso, da pós? Deixei-os ir. Eu digitalizo e armazeno o que for essencial.

No livro Power of Less, Leo Babauta nos traz princípios que podem ajudar a pensar a simplicidade para os estudos. São bases, na verdade, de um tipo de minimalista de produtividade. São eles:
1-      Estabelecer limites;
2-      Escolher o essencial, o que tem mais impacto;
3-      Simplificar: identificar o que é necessidade e o que é desejo;
4-      Focar no presente;
5-      Criar hábitos;
6-      Caminhar a pequenos passos.

        Dormir bem, se alimentar adequadamente, se hidratar, escolher um espaço organizado, sem distrações e desconectado da rede são primordiais para uma atividade de estudos tranquila. Esse aspecto físico muitas vezes é negligenciado. Nosso corpo e nosso espaço são muito importantes, merecem nossa total atenção.
Planejar o que estudar é uma bússola. Evita a dispersão. Planejo na semana anterior os itens que preciso ler, apontar e escrever.
Eu uso Mapas mentais para registrar as ideias essenciais de livros, artigos e uso ainda planejar minha escrita, leituras, tarefas e meu orçamento também. Uso uma pipeline anual para marcar os projetos maiores que quero me dedicar e evitar que esteja com muitas atividades, sem foco e com capacidade criativa reduzida.
O foco é simplificar, mas não significa que seja simplista. O impacto é a questão. O que você faz que gera maior resultado nos estudos? Ler as indicações, escrever artigos, apresentar oralmente produções? Se conheça e invista no que você gosta de fazer e pode fazer bem.
Para o processo de estudos com foco na escrita recomendo fazer um mapa mental, depois, um sumário e, depois de formada a estrutura do projeto, preencher não linearmente as partes, com regularidade, se possível escrevendo todos os dias. É preciso ver o todo, isso facilita um processo de escrita mais simples, menos sofrida e com mais impacto.
Para estudos dirigidos a exames recomendo o estudo sob a forma de ciclos. Depois de definido uma carga horária para cada assunto, respeito o cronograma a partir do meu tempo disponível e de mais energia. Assim que encerro a atividade, cronometro o tempo e na próxima sessão retomo de onde parei.
O processo de estudos é um processo de desenvolvimento pessoal, aprender é se aprimorar e também viver melhor.
O minimalismo nos ensina que menos é melhor, que a qualidade se sobrepõe à quantidade e isso se estende a todas as áreas da vida. Ter foco, destralhar, selecionar suas atividades dentro do possível, entender seus processos de aprendizagem e seu papel no mundo - escolhendo o essencial- é ter simplicidade, que é de onde vem, parafraseando a frase atribuída a DaVinci, a verdadeira sofisticação. Bons estudos.
Fotografia: Vinicius Monção [www.viniciusmoncao.com]


Um comentário: