quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Como fazer a Seleção no Ciclo de Estudos


Olá amigos e amigas,
Esse é mais um post da série sobre Ciclo de Estudos. Hoje o tema é Seleção. Apresento dicas simples para acelerar o processo de escolha de artigos ou conceitos-base na sua produção acadêmica e falo outras mil coisas.
Esse tópico me é muito caro! Selecionar é fundamental para a organização, planejamento, estimativas reais de tempo e produtividade. Sei bem das questões complexas e legítimas de maximização e otimização da produção de pesquisa. Esse blog NÃO está a serviço dessa política opressora de publicações irreais propostas pelos órgãos de fomento. Meu objetivo é apenas ajudar aqueles que, como eu, querem se desenvolver e crescer em sua escrita científica, aprimorando conhecimentos, trocando com nossos pares e ímpares e contribuindo para um mundo melhor.
Dito isto, vão as dicas:
1- Converse com seu (sua)  orientador(a)! Leia esse tópico cinco vezes e passe para o segundo...rs
(((1.1- Não tem orientador ainda? Dica na dica: a) Eu atualmente escolho seguindo um critério claro: identificação, mesmo.  Sério. Identificação pessoal e conceitual. Sabe “murro em ponta de faca?” Então, não nasci pra isso, beibe! Beijão pra minha orientadora! )))
2- Tenha um caderno de notas e anote tudo o que se relacionar com a pesquisa, leve-o sempre com você e deixe-o próximo a sua cama à noite (É sério. Eu já sonhei com minha pesquisa e tive uma super ideia).
2.1-Se você trabalhar também no laboratório, tenha outro caderno, só que fixo naquele espaço para as anotações pertinentes. Outra coisa que funciona em laboratório também é o uso de áudio para registrar fatos rapidamente, sem perder o raciocínio. Celular salva!
3-Depois das orientações, leia atentamente os textos indicados. Anote as referências de cada um e procure outros textos dos mesmos autores na internet, preferencialmente em banco de teses acadêmicas.
4-Construa um banco de artigos em seu computador. Insira-os e se você se organizar, poderá inclusive fazer breves fichamentos. (Tenha esperança!)
5- Defina, se já não definiu antes, seu recorte de pesquisa. Não é possível escrever tudo sobre tudo, você deve SELECIONAR. No meio acadêmico as pessoas chamam isso de recorte. Então, você deve escolher o quê, como e por quê, como passos principais para a escrita da pesquisa.
6- Depois de um recorte definido, de um bom banco de artigos-base, tenha prazos de leitura. Nos próximos posts (Esperança!!!) pretendo escrever sobre a criação de uma rotina com propósito de escrita/estudos. Aguardem.
7- Construa um cronograma! Estime seu tempo de leitura/fichamento de um artigo e dobre-o. Se você acha que leva três horas para ler um artigo pouco complexo de 100 páginas, estime que levará seis horas para concluí-lo. Seja real, mas gentil consigo mesmo.
7.1- Se você ainda não consegue ter nem ideia de quanto tempo leva para ler bem um artigo, ao menos prestará mais atenção nesse quesito e ficará melhor com o tempo. Eu me assusto com a precisão que eu algumas amigas temos para estimar nossos prazos. Depois que tive filho então...sou um cronômetro ambulante e aproveito todos os intervalos.
8- Nunca esqueça, beba água enquanto estuda e sempre, sempre respire, lembre-se de sentir seu coração e estar dentro da sua pele, mesmo que sua mente esteja divagando pelo universo.
Espero que seja útil para você.
Gratidão pela leitura.
Ju.

PS: Estou preparando uma série em homenagem a minha amiga doutoranda Mari, de nome “Decoreba dos Paranauê” em que abordarei técnicas de memorização de leitura num sistema que estou criando de Conceito-Autor-Obra. Você nunca lembra de quem escreveu o quê??? Essa então é pra você!

4 comentários: